TRE-PE lança campanha contra Fake News

Presidente do TRE-PE, Luiz Carlos Figueiredo explicou os objetivos da campanha para as eleições de 2018

TRE-PE LANÇA CAMPANHA CONTRA FAKE NEWS

Nesta quinta-feira (22) o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), Luiz Carlos Figueiredo, se reuniu com a imprensa local para o lançamento da campanha contra propagandas e notícias falsas, popularmente conhecidas como Fake News durante o período eleitoral. Todas as ações serão tomadas em conjunto com o Ministério Público Eleitoral (MPE) e Polícia Federal.

O objetivo é orientar os cidadãos, identificar eventuais divulgadores de boatos e calúnias e agilizar a punição. Pelo seu poder destrutivo e por ameaçar a própria democracia, as fake news, atualmente, são a principal preocupação da Justiça Eleitoral em todo o País. 

A campanha terá um tripé que envolve respostas judiciais rápidas, tecnologia e conscientização.


Na esfera jurídica, neste ano, o TRE-PE vai criar uma Central de Denúncias que terá o papel de fazer uma triagem de todas as informações que chegarem à Justiça Eleitoral. Coordenada pelo desembargador substituto do TRE-PE Stênio Neiva, a central terá o objetivo de fazer uma filtragem de maneira a dar maior celeridade às ações de combate a possíveis crimes eleitorais.


É bom lembrar que qualquer denúncia - sobre fake news ou não - poderá ser feita no site do Tribunal (www.tre-pe.jus.br), via formulário eletrônico da Ouvidoria  ou através do Disque Eleitor (3194-9400). No segundo semestre, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também disponibilizará em seu site (www.tse.jus.br) e nos sites dos TREs o sistema Pardal, outro canal para o recebimento de denúncias.
Em se tratando de TRE-PE, já existe uma comissão formada por três desembargadores eleitorais substitutos (o próprio Stênio Neiva, além de Karina Aragão e Itamar Pereira da Silva Júnior) que fica responsável em julgar representações sobre propaganda e pesquisa eleitoral nos casos de competência deste colegiado. Paralelamente a este grupo, há também a Comissão de Propaganda do Recife, formada por um juiz coordenador (Heraldo José dos Santos) e dois juízes auxiliares (Maria Thereza de Sá Machado e Ailton Alfredo de Souza). Esta Comissão tem poder de polícia durante o período eleitoral. Nos outros municípios, o juiz eleitoral da comarca assume a função.


"Todos os magistrados e servidores envolvidos neste trabalho serão treinados e orientados a identificar e priorizar ações para diminuir os efeitos das fake news. Queremos preservar a lisura do processo eleitoral e isso se faz, também, combatendo a disseminação de mentiras na internet. Sabemos que é uma tarefa difícil, mas faremos a nossa parte", diz o presidente do TRE-PE, desembargador Luiz Carlos de Barros Figueirêdo.


Desembargador corregedor do TRE-PE, Alexandre Pimentel também destaca a importância do planejamento para reduzir os efeitos das notícias falsas durante o período eleitoral. "Felizmente, a legislação não permite censurar posts na internet. Para reduzir as fake news, temos que trabalhar no sentido de reprimir e não de inibir".
Exatamente para orientar os cidadãos de modo geral sobre o risco da propagação das notícias falsas, começa a ser veiculada hoje uma campanha publicitária com uma roupagem da cultura pop com o lema "Nem sempre por trás de uma informação existe uma boa intenção". Várias peças serão disponibilizadas através de redes sociais, o principal vetor das fake news. As imagens da campanha poderão ser baixadas também via site do TRE-PE.


Em matéria de tecnologia, o Tribunal disponibilizará, a partir de maio, uma plataforma de comunicação que, previamente programada, poderá barrar, na internet, informações de fontes não confiáveis.

REUNIÃO

Nesta quarta-feira (21), o presidente do TRE-PE se reuniu com o procurador regional eleitoral, Francisco Machado Teixeira, com seu substituto, o procurador eleitoral Wellington Saraiva e com os delegados da Polícia Federal Renato Madsen (chefe da Delegacia de Combate ao Crime Organizado) e Belmiro Freire (chefe da Delegacia de Defesa Institucional). Todos se comprometeram a intensificar as ações contra fake news e aprofundar ainda mais a interação com a Justiça Eleitoral. A reunião aconteceu a pedido da própria PF, que está planejando suas ações para as eleições.
O objetivo da PF é mapear com antecedência municípios onde poderá haver tumultos, trabalhar em conjunto com outras forças policiais, com as Polícias Civil e Militar, e estabelecer um canal para que os agentes possam, com a maior agilidade possível, punir eventuais propagadores de notícias falsas em Pernambuco.


Acesse aqui as fotos da coletiva 

Acesse aqui os arquivos da campanha: 

Arquivo 1 (PDF -1.3MB)

Arquivo 2 (PDF - 834KB)

Arquivo 3 (PDF - 733KB)

Arquivo 4 (PDF - 631KB)

Arquivo 5 (PDF - 741KB)

Arquivo 6 (PDF -770KB)

Arquivo 7 (PDF -776KB)

Arquivo 8 (PDF - 737KB)

Arquivo 9 (PDF - 709KB)

Últimas notícias postadas

Recentes

Saúde no trabalho e COVID-19

O avanço da pandemia em Pernambuco tornou necessárias medidas mais rígidas de isolamento social. Os serviços do Judiciário realizados, necessariamente, de forma presencial, entretanto, foram considerados essenciais e, sendo assim, muitos colegas continuam comparecendo às unidades de trabalho.